Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Senado aprova projeto para que pais presos convivam com seus filhos

 em Notícias

1903 Senado_vivencia_presos_e_filhosO Senado aprovou na terça-feira, dia 18, o Projeto de Lei da Câmara (PLC) 58/2013, de iniciativa do Executivo, que altera o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), para garantir às crianças e adolescentes o convívio com pais e mães que estejam presos. Agora o texto segue para a sanção presidencial.

A aprovação do PLC contempla um dos apontamentos do projeto “Mães do Cárcere”, idealizado pela Pastoral Carcerária, com o apoio da Ouvidoria da Defensoria Pública de São Paulo: a alteração de dispositivos do ECA, para garantir, expressamente, o direito à ampla defesa de rés e réus em processo de destituição do poder familiar que estejam privados de liberdade e também para garantir à criança o convívio familiar com mãe e pai eventualmente privados de liberdade.

O PLC 58/2013 estabelece que a condenação criminal não implica na perda do poder familiar, exceto se o pai ou a mãe tiver sido condenado por crime doloso praticado contra o próprio filho ou filha. Mesmo assim, nas hipóteses em que seja possível a perda do poder familiar, o projeto estabelece que os pais presos devem ser citados pessoalmente.

Na prática, um oficial de Justiça deverá ir até o local onde o pai ou mãe esteja preso para citá-lo. Nesse momento, o oficial deverá lhe perguntar se deseja nomear um defensor para representá-lo no processo. A autoridade judicial também ficará obrigada a requisitar a presença dos pais presos para oitiva nas ações de perda de poder familiar.

O relator da matéria, senador Humberto Costa (PT-PE), lembrou que o ECA já prevê a manutenção do convívio familiar como uma questão prioritária, mas o projeto deverá assegurar esse direito aos menores de idade. Já o senador Eduardo Suplicy (PT-SP), relator do projeto na Comissão de Direitos Humanos e Legislação Participativa (CDH), disse que o projeto é imprescindível por reconhecer a importância dos laços afetivos entre filhos e pais condenados.

 

Fontes: EBC e Agência Senado

 

Recommended Posts

Deixe um comentário