Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Em ato, organizações sociais conversam com egressos e familiares no fórum criminal da Barra Funda

 em Combate e Prevenção à Tortura, Notícias

Militantes de diversas organizações sociais, como ITTC, AMPARAR, coletivo DAR e Pastoral Carcerária realizaram na manhã desta sexta-feira (09) um ato na fila do fórum criminal da Barra Funda. A mobilização consistiu em conversas com as/os familiares e egressos que esperavam ser atendidos, para saber quais são as dificuldades que enfrentam.

As/os familiares afirmam que o custo financeiro e emocional de ter alguém preso é alto. “Ter um filho preso é muito sofrido, tanto pelo custo do transporte, alimentação e advogados que temos de pagar para ajudá-los, como pelo que eles sofrem dentro da cadeia”, afirma uma das familiares na fila. “Meu filho está preso e não é nada fácil. Estou passando por psiquiatra, tomando antidepressivos”, completa a mãe de uma pessoa presa.

Os egressos do sistema prisional que estavam na fila também sofrem, apontando questões como a lentidão do sistema judiciário e o preconceito social que enfrentam ao sair da prisão.

“Você pode ficar preso um dia ou dez anos. Aqui fora, a discriminação é a mesma. A gente é julgado dia após dia, pela família, por conhecidos ou ao procurar um trabalho”, diz outro egresso.

As respostas das/dos familiares e egressos serão compiladas em um relatório, que será enviado ao Ministério Público, Defensoria Pública e Tribunal de Justiça (TJ).

O ato faz parte de uma  série de mobilizações por todo o país pelo fim dos massacres e por um mundo sem cárceres. Em São Paulo, ocorrerá uma vigília na noite deste sábado (10) em frente ao CDP de Pinheiros.

 

 

 

Últimos posts

Deixe um comentário