Em assembleia, PCr gaúcha se prepara para o Ano da Misericórdia

 Em Notícias

Interna_Rio_Grande_do_SulA Pastoral Carcerária do Regional Sul 3 da CNBB (Rio Grande do Sul) realizou entre os dias 16 e 18, sua assembleia estadual, na Casa de Encontro junto a Inspetoria das Irmãs Salesianas, em Porto Alegre (RS), com a participação de 50 integrantes da Pastoral.
O encontro teve por o objetivo revitalizar e fortalecer as pessoas que atuam na pastoral. “As pessoas, muitas vezes, encontram dificuldades por ser uma pastoral na qual existem muitos preconceitos e uma atividade difícil. O objetivo é de fortalecer, reanimar e reavivar para prosseguir em comunhão com toda a Igreja do Regional Sul 3. Outro objetivo foi de trazer presente o Ano da Paz, proposto pela CNBB”, explicou Irmã Imelda Maria Jacoby, coordenadora estadual da Pastoral Carcerária.
Ainda segundo a Irmã, “o Ano da Paz é muito oportuno e nos convida a construir uma sociedade sem violência. No encontro nos damos conta do quanto estamos atuando para a paz, sobretudo, pelas Escolas de Perdão e Reconciliação, para diminuir o alto índice de violência em nossa sociedade. Estamos empenhados e assumimos as linhas de ação de nosso Regional. Viabilizamos práticas em preparação do Jubileu da Misericórdia, para que também o preso atrás das grades possa receber o perdão e a misericórdia”, destacou.
No encontro também se tratou sobre a privatização, o encarceramento em massa, a tortura, a relação dos agentes da Pastoral com o Conselho Comunitário Penitenciário, as linhas de ação assumidas pelo Regional Sul 3 e propostas de ações concretas, a Execução de Penas e Medidas Alternativas, a questão da mulher encarcerada, o Ano da Vida Consagrada e da Paz. Também houve partilhas de experiências e a elaboração de Ação do Plano de Ação e cronograma para os próximos quatro anos.
Participante da atividade, o presidente do Conselho Penitenciário do Rio Grande do Sul, Dr. Antonio David Ebert, manifestou o desejo de atuação conjunta com os agentes da Pastoral e apresentou um projeto. “Tenho o intuito de implantar em todo o sistema prisional do Estado para diminuir a reincidência. O projeto consiste em oferecer ao preso atendimento religioso, acesso ao ensino e aprendizagem e profissionalização”, detalhou.
Para Dom Liro Vendelino Meurer, bispo de Santo Ângelo e Referencial para a Pastoral Carcerária do Regional Sul 3, “o fato da gente se encontrar é um valor muito grande. Quase todas as dioceses estão presentes. Isso fortalece nossa unidade e fraternidade. Rezamos juntos, trabalhamos e refletimos nossa caminhada. Projetamos para os próximos quatro anos o que nós vamos fazer neste campo. Olhamos para as linhas gerais de ação da CNBB e para as cinco linhas do Regional. Também demos grande importância para o Ano da Misericórdia”, avaliou.
No Rio Grande do Sul existem mais de cem presídios, nos quais há, aproximadamente, 30 mil homens presos e quase duas mil mulheres. Mesmo com todo o empenho, a PCr gaúcha não tem quantidade suficiente de agentes para dar atenção a todos.
 
Fonte: Regional Sul 3 da CNBB
FAÇA PARTE DA PASTORAL CARCERÁRIA

DEIXE UM COMENTÁRIO