III Encontro Estadual da PCr para Questão da Mulher Presa de MG debate desencarceramento

 Em Mulher Encarcerada, Notícias

A Diocese de Caratinga, na cidade de Manhumirim, sediou o III Encontro Estadual da Pastoral Carcerária para Questão da Mulher Presa de Minas Gerais. Estavam presentes 15 pessoas, e cinco dioceses do Estado foram representadas.

Rosilda Ribeiro, coordenadora nacional para a questão da Mulher presa, estava presente. Ana Lúcia dos Santos, Aparecida Moreira e Maria de Lourdes Oliveira, da coordenação estadual de MG, também participaram.

Um dos principais temas debatidos foi a Agenda Nacional pelo Desencarceramento. Os 10 pontos do documentos foram apresentados, seguidos por um debate sobre esses pontos.

Também se ressaltou que a Agenda não é um documento da Pastoral Carcerária: movimentos Sociais, outras Pastorais, ONGs e outros parceiros que tem um compromisso com o desencarceramento e o mundo sem cárceres também assinam a Agenda.

Outro tema foi os efeitos que o encarceramento tem nas famílias e a articulação de familiares no estado. Os familiares de presos de MG tem se organizado cada vez mais, em caminhada junto com a PCr e com a Frente Estadual pelo Desencarceramento do Estado.

As Regras de Bangkok, que focam na necessidade de considerar as distintas necessidades das mulheres presas, também foram debatidas, e que citamos as crianças precisam ter um lugar seguro quando sua mãe vai presa, pois o direito da criança precisa ser respeitado.

Por fim, também discutiu-se as APACs no Estado. Segundo Rosilda Ribeiro, que além de participar do encontro visitou presídios, o evento foi importante.

“Visitar as prisões foi bastante importante para reafirmar que cárcere não é lugar de gente. As mulheres encarceradas estão (sobre)vivendo num ambiente insalubre e violador. Elas tem muitas dores que a medicina não consegue explicar, pois são dores da alma que afeta todo corpo, e tomam muito remédio para dormir”.

Nesse sentido, segundo a coordenadora, é fundamental que “ cada vez mais nos sentimos obrigados a não desistir da luta. E quem estava presente no encontro são pessoas empenhadas na luta pelo desencarceramento”.

DEIXE UM COMENTÁRIO