O DESAFIO DO AUTOPERDÃO – PARTE 2

 Em Justiça Restaurativa, Notícias

3.   Autoperdão

Seis passos de Robin Casarjian

  1. Alinhar-se com seu ser profundo e afirmar sua bondade fundamental
  2. Curar feridas emocionais, cuidando de você mesmo de maneira saudável e responsável.
  3. Abrir seu coração para si mesmo (tornando-se seu próprio amigo; autocompaixão)
  4. Aprender da experiência, reconhecendo os sentimentos mais profundos que motivaram os comportamentos pelos quais agora você se culpa.
  5. Assumir a responsabilidade pelo que você fez.
  6. Reconhecer a verdade – o que você tem feito e como afetou outras pessoas.

 

Passo 1: Reconhecer a verdade

Reconhecer o que você tem feito, os sentimentos que isso lhe causa e como suas ações afetaram os outros. Admitir seus erros e ofensas ante outra pessoa, ajuda na sua cura e libertação.

  • Reflita: como suas ações afetaram a você e aos demais? Como se sentiu/ram a pessoa ou pessoas que foi/ram afetada/s pelas suas ações? Reconheça a verdade de suas ações e sentimentos.

Passo 2: Aceitar a responsabilidade pelo que fez

Aceitar a responsabilidade pede responder francamente, a mim mesmo e aos demais, pelos nossos atos e repará-los na medida do possível.

  • Como pode responsabilizar-se pelo que você fez?

Passo 3: Reconhecer os sentimentos

Aprender da experiência, reconhecendo os sentimentos mais profundos que motivaram comportamentos pelos quais, agora, você se culpa.

  • Que pessoas, situações da vida – na sua infância ou juventude – causaram em você sentimentos como insegurança, tristeza… outros? Tome consciência desses sentimentos que o levaram a comportamentos pelos quais hoje você se culpa.

Passo 4: Abrindo o coração para você mesmo

O autoperdão pede autocompaixão e ternura com você mesmo. Um coração aberto para você mesmo permite sentir segurança na fraqueza e vulnerabilidade, em vez de falsa segurança.

  • De que maneira você se critica? Sobre quais comportamentos  se critica?

Aceitar seus sentimentos sem criticá-los, leva à transformação desses sentimentos.  Com ternura e compaixão, você pode acolher o seu lado sombrio, aceitá-lo e curar-se, e assim amadurecer emocionalmente.

Passo 5: Curar as feridas

Toda emoção autodestrutiva é um pedido de ajuda para chegar ao amor.

  • Pense em quatro maneiras como você pode responder ao pedido de ajuda que suas emoções negativas o fazem para alcançar bem-estar e crescimento.

Passo 6: Unir-se com sua bondade fundamental

Seu ser profundo é bom, sábio e poderoso. Unindo-se ao seu ser profundo e conectando-se com a fonte, encontrará: sua capacidade para amar e respeitar a você mesmo e aos demais; sua capacidade para libertar-se de cada autocrítica interior que lhe causa a baixa autoestima e lhe tira o poder de amar; sua capacidade para ser criativo, caminhar com segurança, curar-se das feridas que a vida causou e causa.

Lembre-se de uma situação pela qual se sente culpado:

  • Reflita sobre o que impulsionou sua conduta.
  • O que pode aprender agora sobre você mesmo com aquela experiência?
  • Como pode agora reagir de maneira diferente?
  • Respire profundamente e sinta a totalidade de seu ser profundo.
  • Faça esse exercício para cada situação em que você se sente culpado.

 

4.   Autoperdão – um exercício

Robin Casarjian

  1. Como seria sua vida se você se perdoasse completamente?

Se eu me perdoasse, seria mais feliz, não julgaria os outros; seria mais fácil não segurar o que outros fizeram a mim.

  • Segurando meu autojulgamento eu abro mão de: XXXX
  • Segurando meu autojulgamento eu perco: XXXX
  • O que me impede de eu me perdoar é: XXXX

 

Completo as frases, abaixo, para identificar quais são os assuntos que ainda estão pendentes, para avançar no  autoperdão.

  • Nunca me perdoarei por XXXX
  • Eu deveria ter XXX
  • Eu nunca deveria ter XXX
  • Se eu tivesse XXX

 

In: Houses of Healing: A Prisoner’s Guide to Inner Power and Freedom, 1995

DEIXE UM COMENTÁRIO