PCr de Xancerê realiza missa no dia do encarcerado denunciando falta de políticas públicas no cárcere

 Em Combate e Prevenção à Tortura, Notícias

A Pastoral Carcerária de Xanxerê (SC), no dia do encarcerado (13 de agosto)  deste ano, realizou uma missa denunciando as violações de direitos que ocorrem atrás das grades e a falta de políticas públicas para a população prisional, além da violência estatal. Violência esta marcada na memória do país pelo massacre do Carandiru, que nesta semana, dia 02 de outubro, irá completar 29 anos.

O Carandiru não acabou; pelo contrário, cotidianamente os agentes da PCr, familiares e outras organizações fiscalizadoras presenciam massacres e torturas nas prisões. Confira abaixo o texto da Missa no Dia do Encarcerado:

Texto para a Missa do Dia do Encarcerado 2021

Paróquia Senhor Bom Jesus da Coluna – Xanxerê/SC

Rossaly Beatriz Chioquetta Lorenset¹

A Pastoral Carcerária iniciou em Xanxerê no ano de 1988, são 33 anos de dedicação à causa dos privados de liberdade do Presídio Regional de Xanxerê e esta pastoral procura atender ao pedido de Jesus Cristo: “Estive preso e vieste me visitar…”

A Pastoral Carcerária Nacional denuncia a precariedade das unidades prisionais e a falta de políticas públicas. Pelos dados do SisDepen 2020 – Sistema Penitenciário Nacional, os presos do Brasil, em sua maioria, são jovens, negros, pobres e com baixa escolaridade. Darcy Ribeiro², em 1982, falou: “Se nossos governantes não fizerem escolas, em 20 anos faltará presídios”. Foi o que ocorreu. O Brasil possui a terceira maior população carcerária do mundo, atrás somente dos EUA e da China. É um cuidar de consequências, não uma preocupação com causas. As causas são a ausência do Estado no cuidado com as desigualdades. A atuação do Estado e do legislador se dá a posteriori. Para se compreender a gravidade, o Presídio de Xanxerê possui 74 vagas mas há em torno de 300 presos custodiados e isso ocorre nas prisões do país todo… Em nome da Justiça, se cometem muitas injustiças… No Brasil, não existe prisão perpétua, mais dia, menos dia, o preso vai voltar para o convívio social. A prisão é um problema da sociedade, não só da Justiça.

Aproveitamos este momento para agradecer todos que contribuem com nossas campanhas, como doação de Bíblias aos irmãos encarcerados, entre outras. E nada melhor que trazemos a fala deles, de uma carta recebida dos presos em 14 de agosto de 2021. Ouçamos:

“Agradecemos imensamente a Pastoral por sempre lembrar de nós detentos neste momento difícil de nossas vidas em que estamos pagando pelos nossos erros. Que Deus possa iluminar e abençoar todos vocês que de uma forma ou de outra lembram e nos ajudam sempre. Nem que seja com orações. Temos a ciência que a maioria da sociedade veem os detentos com muito preconceito e discriminação, às vezes até com palavras e desejos de maldição, coisa natural do ser humano, porque somos rápidos em julgar e tardios em perdoar. Sabemos que cometemos erros, falhamos como homens, mas estamos pagando. Quando a Pastoral vem nos visitar, as mensagens que nos transmitem são de esperança e de amor, em um lugar como esse que caímos na mesmice, com saudade da família e do mundo, lugar em que muitos de nós são esquecidos e abandonados até pela própria família. Esperamos que com essas simples palavras vocês possam sentir nossa gratidão, pois não temos nada a oferecer em troca, mas temos certeza que Deus está olhando a Fé, a caridade e as boas obras e vai retribuir com abundância os que fazem parte desse Projeto. Gostaríamos que em vossas orações nos incluíssem, que nas missas possam lembrar de nós e de nossas famílias – pais, mães, filhos e filhas – que Deus dê força para eles e que não lhes falte o pão de cada dia. Que Deus possa nos transformar para que quando sairmos daqui sejamos novas criaturas. Nosso muito obrigado! Deus abençoe a todos!”

Amados irmãos e irmãs em Cristo, com a pandemia do corona vírus, as visitas da Pastoral estão suspensas. Assim que houver autorização do Estado para visitas presenciais, estamos prontos para retornar às terças-feiras à tarde. Você, que sentiu um chamado no coração, está convidado a fazer parte da Pastoral Carcerária de Xanxerê. Deixe seu nome na Secretaria Paroquial ou converse com os membros da Pastoral que aqui estão. Você é muito bem-vindo! Precisamos de voluntários, pois a messe é grande!

___________

¹ A autora é membro da Pastoral Carcerária de Xanxerê desde 2017.

² RIBEIRO, Darcy. Sobre o óbvio. Rio de Janeiro: Guanabara, 1986.

Disponível em: https://canalcienciascriminais.com.br/administrando-pobreza-wacquant/ Acesso em: 10 set. 2021.

DEIXE UM COMENTÁRIO