Unidades prisionais de Fortaleza já registram 23 mortes este ano

 Em Notícias

As Casas de Privação Provisória de Liberdade (CPPLs) e as penitenciárias da Grande Fortaleza, no Ceará, já registraram 23 mortes desde o começo do ano.
O caso mais recente aconteceu na quinta-feira, 18 de abril, quando Nivaldo Alencar da Costa, 36 anos, foi encontrado morto, enforcado, na cela de isolamento do Pavilhão 3 do CPPL I, em Itaitinga.
O caso está sendo investigado por uma equipe da Coordenadoria de Criminalística da Perícia Forense do Estado do Ceará, que ao chegar à cela onde estava o corpo do detento disse não ter sido possível identificar se ocorrido foi suicídio ou assassinato.
Das 23 mortes registradas desde o começo do ano, 13 aconteceram justamento nas dependências do CPPL I. A situação mais grave até agora aconteceu na madrugada de 11 de março, quando 11 detentos morreram em decorrência de uma briga na unidade.
NA CPPL II houve três óbitos desde o início do ano, assim como no Instituto Penal Professor Olavo Oliveira II (IPPOO II). Aconteceram, ainda, duas mortes na Penitenciária de Pacatuva e uma na CPPL III e na CPPL do Carrapicho.

DEIXE UM COMENTÁRIO