Em assembleia, PCr do Rio Grande do Sul elege nova coordenação estadual

 Em Notícias

Entre os dias 23 a 25 de setembro, a aconteceu a XIII Assembleia da Pastoral Carcerária do Rio Grande do Sul (Regional Sul 3 da CNBB), na Inspetoria Salesiana Nossa Senhora Aparecida, em Porto Alegre (RS).
Na oportunidade, foi eleita a nova coordenação estadual da Pastoral Carcerária, que ficou assim composta: Padre Edson André Cunha Thomassim (coordenador); Irmã Imelda Maria Jacoby (vice-coordenadora); Padre Eduardo Luis Haas (secretário); Fernando Marca (responsável pela comunicação); Vera Lucia Dalzotto (responsável pela Questão da Mulher Presa). A Irmã Imelda também ficará responsável pelas questões relativas a justiça restaurativa e ainda integrarão a equipe colegiada os representantes da Arquidiocese de Porto Alegre e do vicariato de Guaíba.
A assembleia contou com a presença do bispo referencial Dom Liro Vendelino Meurer; e do coordenador nacional da Pastoral Carcerária, Padre Valdir João da Silveira. Aproximadamente 70 representantes da dioceses e vicariatos do Regional Sul 3 participaram da atividade, além do presidente da Federação dos Conselhos da Comunidade e Conselho Penitenciário, Nilton Caldas, bem como Dom Jaime Spengler, arcebispo de Porto Alegre; Dom Aparecido Donizete de Souza, bispo auxiliar da mesma Arquidiocese; e o Padre Cesar Leandro Padilha, secretário-executivo do Regional.
O evento compreendeu momentos de oração, da celebração do Ano da Misericórdia, estudo e reflexão, abordando desde a Ação Evangelizadora da Igreja no Brasil; comoventes testemunhos de ação com a partilha de boas práticas, dos avanços e das dificuldades na caminhada; a espiritualidade e a realidade da Pastoral Carcerária no Brasil e no Rio Grande do Sul; a Justiça restaurativa e a condição da mulher presa; os Conselhos Comunitários Penitenciários; a agenda para o desencarceramento; a elaboração do planejamento da Pastoral Carcerária 2016-2019 com as metas para 2017 até a eleição da nova coordenação estadual.
Dentre os principais avanços apontados pelos participantes, está o impulso dado pelo Ano Jubilar da Misericórdia, que propiciou um novo olhar sobre os encarcerados, bem como um maior reconhecimento à Pastoral Carcerária por parte do clero e da sociedade em geral, efetivado por diversos momentos de formação, especialmente sobre a justiça restaurativa (Escola do Perdão e da Reconciliação).
Como dificuldades, a precariedade das unidades prisionais do Rio Grande do Sul figura como grande preocupação devido às condições desumanas a que estão submetidos os presos, sem estrutura e sem atendimento a algumas necessidades básicas para a própria sobrevivência: uma situação caótica e degradante, que atinge com mais intensidade as mulheres.
Irmã Imelda Maria Jacoby, após dois mandatos à frente da Pastoral, avaliou o evento como a culminância de árdua e gratificante trajetória, feliz com os avanços obtidos e com a participação ampliada. Destacou o apoio do Regional, na pessoa de dom Jaime Spengler e da Congregação das Irmãs de Nossa Senhora – Notre Dame, da província de Santa Cruz, que tornaram possível esta ação. “Aceitei o pedido de continuar inserida na caminhada com fidelidade ao estatuto e acreditando nas novas lideranças que surgiram, pois, a missão ainda tem muitos desafios e precisa do nosso serviço”, concluiu.
Fonte: Regional Sul 3 da CNBB, com informações de Evanice Luiza Diedrich Schroeder, da Diocese de Montenegro

DEIXE UM COMENTÁRIO