Padre Valdir: Natal de Esperança, de Milagre e de Opções

 Em Igreja em Saída

Natal, festa do Milagre e de renovar a Esperança.
Natal é a festa em que Deus vem ao mundo para fazer morada entre nós, habitando no cotidiano e na vida de cada uma e cada um.
ValdirNatal é a festa do Milagre. O Milagre que se desvela em cada ato de misericórdia, de solidariedade, de companheirismo e de construção comunitária do mundo novo e das novas relações não opressivas. Cada ato destes é o Milagre da revelação do Deus Todo Misericordioso, que viu e ouviu os clamores do povo marginalizado e escravizado e desceu para realizar a libertação já na história, na periferia do mundo, entre as pessoas pobres, nas margens afastadas da Galileia.
Natal é tempo de reafirmarmos e nos reanimarmos pelo Milagre do Reino: a construção de um mundo de paz, de fraternidade, de justiça social… Enfim, invariavelmente o Mundo Sem Cárceres que almejamos!
Natal também é tempo de renovar a Esperança. E é a Esperança que brota das experiências de partilha, das relações que valorizam os sujeitos e as identidades, da vida em comunidade e das experimentações marcadas pela solidariedade e pelo amor, mananciais da Vida Nova e do Reino, mesmo em meio às adversidades, aos retrocessos e aos desafios.
Se do ano que passou as dificuldades foram muitas, que no final de 2017 tenhamos muitas lutas para celebrar! A alegria presente nas lutas já é sinal do Reino, assim como o compromisso profético de não termos ficado indiferentes perante à dor alheia, à injustiça e ao desamor que nos cercam. Esta será nossa festa! Sim! Lutar, sermos militantes da justiça social e nunca deixarmos de anunciar a Esperança na ação concreta e histórica.
Não basta somente pedir! Por isto Ele veio ao mundo para mostrar o Caminho, os gestos, as opções e a radicalidade de estar sempre junto às pessoas pobres e excluídas. Nesta trilha, poderemos, enfim, ter um Feliz Natal! Como exortava Dom Paulo, “de Esperança em Esperança, sempre na Esperança!”.
Abraço.
Padre Valdir João Silveira
Coordenador Nacional da Pastoral Carcerária – CNBB

DEIXE UM COMENTÁRIO