Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Padre Valdir: ‘Os presídios são como bombas-relógio explodindo pelo país’

 em Combate e Prevenção à Tortura

Valdir_EntrevistaO caos no Complexo Penitenciário Anísio Jobim (Compaj), em Manaus (AM), em 1º de janeiro, que culminou na morte de 56 pessoas, é semelhante ao de outros presídios no Brasil. A afirmação foi feita pelo Padre Valdir João Silveira, coordenador nacional da Pastoral Carcerária, em entrevista à Rádio 9 de Julho, da Arquidiocese de São Paulo, em 2 de janeiro.

OUÇA A ENTREVISTA COMPLETA

Segundo o Padre Valdir, as mortes no sistema prisional brasileiro acontecem quase que diariamente, inclusive nas unidades privatizadas, como é o caso do Compaj, administrado pela empresa Umanizzare.

“O Estado trata mal os presos e ainda comercializa essas pessoas que são colocadas em condições inferiores pelo Estado para morrer e se degradar”, enfatizou.

Ainda segundo o Padre, “presídio é lugar de morte e tortura, mesmo assim o Legislativo continua a fazer leis absurdas, o Judiciário manda prender todos os dias em grandes quantidades, e o administrativo, que lucra e é local de corrupção. Presídio é local de muito dinheiro, mas de resultado negativo para toda a sociedade e para quem está preso”.

Segundo o coordenador nacional da PCr, as diversas instâncias do Judiciário responsáveis por fiscalizar as unidades prisionais têm falhado, mas a sociedade parece indiferente a essa realidade. “A Pastoral tem falado várias vezes: os presídios são como bombas-relógio, que vão explodindo ao longo do país. E essa explosão afeta inclusive quem não se importa com essa realidade, mas acaba sendo atingido”.

Últimos posts

Deixe um comentário