Decisão anulada libertaria 169 mil presos que não tiveram direito à ampla defesa