Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

PCr-MG cobra implantação do sistema informatizado de acompanhamento de penas

 em Notícias

JusticaSancionada em setembro de 2012 e com vigência desde setembro de 2013, a lei n° 12.714 dispõe que os dados e as informações da execução da pena, da prisão cautelar e da medida de segurança deverão ser mantidos e atualizados em sistema informatizado de acompanhamento.

Porém, na prática, ao menos em Minas Gerais, a legislação parece que ainda não foi implementada. Por essa razão, em 19 de maio, a Pastoral Carcerária de Minas Gerais encaminhou um ofício ao Dr. Augusto Eduardo de Souza Rossini, diretor geral do Departamento Penitenciário Nacional do Ministério da Justiça (DEPEN-MJ), para saber sobre a efetividade da aplicação da lei.

Anteriormente, em 15 de outubro de 2013, a PCr-MG já havia encaminhado ofício ao secretário de estado de Defesa Social de Minas Gerais (SEDS) para buscar informações sobre a implantação da lei em Minas. Em abril de 2014, a Secretaria de Estado respondeu que Minas Gerais já dispõe do Sistema Nacional de Informação Penitenciária (INFOPEN) e que a instituição do sistema nacional é de responsabilidade do poder Executivo Federal.

No ofício ao DEPEN-MJ, a PCr-MG cita ofício encaminhado à SEDS e a resposta que recebeu, e enfatiza que em Minas Gerais há ausência da informação sobre processos em andamento, prisão preventiva ou condenação em processo criminal que esteja transitado em julgado, e que porventura não tenha ainda gerado a respectiva informação de execução penal.

A Pastoral pontua que “a ineficiência dos sistemas atuais de gestão das informações prisional contribui, sobremaneira, de forma perversa para a superlotação das unidades prisionais, uma vez que a demora na concessão de benefícios legais ocorre em prazo extremamente dilatado”; e cita no ofício alguns processos de execução penal que estão parados há tempos, devido à gestão ineficiente das informações prisionais.

O ofício requer ao diretor que o DEPEN-MJ torne público e informe a Pastoral sobre em que fase se encontra a implantação efetiva da lei federal nº 12.714/2012, e que seja dada ampla publicidade aos estabelecimentos prisionais, às defensorias públicas estaduais e da União, e às delegacias de polícia sobre a vigência da Lei e de sua relevância.

“Nosso objetivo é expor o quão dificultado se torna o trabalho da defesa, em razão do problema de se obter informações exatas e atualizadas sobre determinado sentenciado. Também, como é prejudicado o trabalho do juízo competente, uma vez que sem informações precisas, acaba por demorar sobremaneira para exarar suas decisões. Tudo em razão da gestão da informação, isto foco da Lei 12.714/2012”, consta no ofício assinado por Maria de Lourdes de Oliveira, coordenadora da PCr de Belo Horizonte; Massimiliano Antônio Russo, coordenador jurídico em Belo Horizonte; e Wellington Fajardo Barbosa Júnior, advogado voluntário.

VEJA A ÍNTEGRA DA LEI 12.714/2012

Recommended Posts

Deixe um comentário