Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Divulgado vencedores do 2ª Prêmio de Boas Práticas

 em Notícias

Teatro_premiadoO projeto “Reabilitando pela arte: cultura de paz pela não violência”, desenvolvido pela Associação Cultural e de Desenvolvimento do Apenado e Egresso (Acuda), de Rondônia, é o vencedor do 2ª Prêmio de Boas Práticas em Política Criminal e Penitenciária.

O anúncio foi feito pelo Conselho Nacional de Política Criminal e Penitenciária do Ministério da Justiça, em 29 de novembro. O projeto vencedor existe há 13 anos e já auxiliou na reabilitação de mais de 500 presos, por meio do teatro, com destaque para a produção de duas peças teatrais de sucesso, “Bizarrus” e “O Topo do Mundo”.

Para o diretor e responsável pelas duas peças há 17 anos, Marcelo Felice, o principal elemento de sucesso do projeto é o conteúdo. “O conteúdo é a coluna vertebral do projeto em nível de direitos humanos. O trabalho de consciência e autorresponsabilidade é o norte. O teatro, a técnica vocal etc são as ferramentas. O espetáculo é a isca”, explicou.

Demais projetos premiados

Em segundo lugar, ficou o programa Pró-Egresso, da Coordenadoria de Reintegração Social e Cidadania da Secretaria de Administração Penitenciária de São Paulo. A iniciativa impulsiona a reintegração social, com a inclusão de egressos nos programas da Secretaria do Emprego e Relações do Trabalho, através da intermediação de mão de obra, qualificação profissional, frente de trabalho e carteira profissional.

O projeto Cartilha Legal, do Ministério Público do Rio de Janeiro, recebeu a terceira premiação. O principal objetivo da iniciativa é esclarecer os presos sobre os direitos e deveres de cada agente envolvido na execução penal, além de apresentá-los o Ministério Público mostrando que é um importante instrumento à disposição de todos para efetivação dos direitos fundamentais.

Em quarto lugar ficou o programa Remição da pena pelo estudo através da leitura nos estabelecimento penais do Paraná, pelo qual é oferecido um livro por mês aos encarcerados, que após ler devem escrever um relatório sobre a obra. Para cada livro são contabilizados quatro dias de remição.

Em quinto lugar foi premiado o programa Qualifica Bahia, promovido pela Secretaria Administração Penitenciária e Ressocialização da Bahia. Por ele, mais de 800 presos já foram capacitados profissionalmente. O programa prepara os trabalhadores para aproveitar oportunidades criadas por obras e investimentos públicos e privados que chegam ao estado.

Fontes: Conjur e Rondônia Agora

Recommended Posts

Deixe um comentário