Defensor público em São Paulo critica prática de revista vexatória