Marcelo Naves: pessoas presas quase nunca tiveram acesso a direitos mais básicos