Fim das revistas vexatórias no Rio de Janeiro agora só depende do governador