Anistia internacional indica que precariedades prisionais foram mantidas em 2015