Produção de terços é uma das ações da PCr com os presos de Redenção (PA)

 Em Notícias

O grupo de quase 50 agentes da Pastoral Carcerária da Diocese de Redenção, no Pará, está em constante aprimoramento de atividades nos que se refere à evangelização nos cárceres, formação educacional dos presos e inserção social destes através do trabalho.
Tercos_RedencaoUma das iniciativas em andamento é a confecção de terços pelos presos (foto), atividade supervisionada pela coordenadora diocesana da Pastoral, Luciene Pereira, que garante que os detentos que participam do projeto estão prontos para confeccionar de 500 a mil terços por mês.
De acordo com Luciene, a PCr tem se expandido pelas paróquias da diocese, com a aplicação dos módulos de formação oferecidos pela Pastoral Carcerária Nacional, se mobilizado pela criação do conselho da comunidade e prestado assistência aos encarcerados. “Temos assistido aos presos de todas as formas que podemos, inclusive com doação de colchões revestidos com o timbre Pastoral Carcerária”, comentou.
Em dezembro, a PCr de Redenção realizou a festa de Ano Novo nas unidades prisionais da cidade, momento especialmente marcado pela participação dos músicos locais e do bispo diocesano dom Dominique You. Em 31 de janeiro, houve a retomada das atividades de evangelização, e de 21 a 23 de fevereiro, acontecerá um congresso formativo sobre a Pastoral Carcerária.
A superlotação carcerária em Redenção é um problema constante. Atualmente, em unidades prisionais com capacidade para 120 presos estão 430 pessoas, realidade não muito diferente da encontrada pelo padre Valdir João Silveira, coordenador nacional da PCr, na visita que realizou à cidade em outubro de 2013. Na CRR de Redenção, por exemplo, à época, havia quatro vezes mais presos do que a capacidade do local, além da falta de remédios, materiais de higiene e acesso a estudo e trabalho.
Recentemente, em parceria com a Prefeitura de Redenção, a Pastoral Carcerária viabilizou que 20 presos fossem contratados para trabalhos na área de construção civil.

DEIXE UM COMENTÁRIO