PCr da Arquidiocese de Juiz de Fora (MG) consegue apoio de assessoria jurídica

 Em Notícias

A Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Juiz de Fora (MG) contará, a partir do mês de outubro, com o apoio voluntário das advogadas, Diulyanne Simplicio, Caroline Andrade e Maysa Bertuhan, que irão prestar assessoria jurídica, de maneira gratuita, aos encarcerados atendidos pela PCr arquidiocesana.
De acordo com o assessor eclesiástico da Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Juiz de Fora, Padre Welington de Souza, oferecer esse serviço jurídico de forma gratuita é de fundamental importância. “Na minha opinião, é uma grande conquista poder contar com excelentes advogadas que irão prestar este serviço jurídico a muitos encarcerados que não tem condição financeira, pois a Defensoria Pública faz um bonito trabalho, no entanto, devido à grande demanda não consegue atender a todos os que necessitam”, opinou.
Segundo a coordenadora da assessoria, a advogada Diulyanne Simplicio, este trabalho dará “aos encarcerados menos favorecidos economicamente, acesso a uma defesa justa, ou para que se faça valer seus direitos, pois todos sabem que, muitas vezes, quando o preso não possui advogado, ele acaba esquecido no cárcere”, afirmou, complementando. “Penso que a iniciativa da assessoria jurídica na pastoral é para ajudar a amenizar esse tipo de situação e, também, tentar mostrar ao detento a importância da religião e por meio desta, resgatar os valores morais do indivíduo”, completou.
Diulyanne Simplicio explicou, ainda, que seu primeiro contato com a Pastoral Carcerária foi através do Padre Welington, quando assumiu a PCr arquidiocesana. “Eu ainda estava na faculdade, já tinha interesse em atuar profissionalmente na área criminal, então conversei com ele e pedi para fazer parte da Pastoral”.
A assistência jurídica às pessoas presas é uma garantia legal prescrita na Lei de Execução Penal – artigos 15 e 16 – e no artigo 5º da Constituição Federal.
Fonte: Pastoral Carcerária da Arquidiocese de Juiz de Fora

DEIXE UM COMENTÁRIO