Pastoral Carcerária de Criciúma (SC) realiza primeira missa na Penitenciária Sul

 Em Notícias

PCr CriciumaA Pastoral Carcerária da Diocese de Criciúma realizou, em 10 de agosto, pela primeira vez, uma missa na Penitenciária Sul, localizada no bairro Vila Maria, em Criciúma.
A celebração ocorreu em um pátio fechado, com a participação de 20 presos, três funcionários da unidade prisional e quatro integrantes da Pastoral Carcerária. Padre José Aires Pereira, assessor diocesano da PCr, presidiu a missa, concelebrada pelo padre Orlando Cechinel.
“Pela primeira vez, celebramos uma missa aqui e nos propomos a estar de forma periódica, nos encontrarmos e rezarmos. Os agentes da Pastoral Carcerária fazem isso de forma voluntária, porque querem estar neste ambiente e evangelizar, seguindo o ensinamento de Jesus: ‘Estive preso e fostes me visitar’. Queremos acolher essa palavra com misericórdia. Deus não me ama porque sou bom; me ama porque Ele é bom”, disse Padre Aires na homilia.
O Sacerdote motivou uma breve reflexão para o Evangelho do dia, que se referia à semente que só produz fruto quando morre. “A terra é Deus que nos acolhe, na nossa vida, para que produzamos frutos. Se morrermos no pecado, não vamos nascer para Cristo. Deus nos quer felizes e bem resolvidos. Apesar de nossas fraquezas, precisamos conhecer o amor de Deus”, acrescentou.
“Na simplicidade, no amor e no carinho, queremos estar com vocês, respeitando sua religião, pois nem todos são católicos, mas a Palavra de Deus deve guiar a nossa vida”, completou Padre Orlando.
A missa foi dedicada às famílias dos encarcerados, funcionários do complexo e detentos que são pais, uma vez que aconteceu próxima ao Dia dos Pais, festejado em 14 de agosto. Ao final da missa, os padres Orlando invocaram a bênção sobre o pão, que foi partilhado.
A Pastoral Carcerária iniciou as visitas aos encarcerados dessa unidade prisional há cerca de três meses, todas as segundas-feiras. Padre Aires agradeceu à direção pela oportunidade dada à Igreja de se aproximar dos que estão no cárcere.
Conforme o gerente de educação da Penitenciária Sul, Max Mello, a visita dos agentes da Pastoral Carcerária aos presos só tende a ser positiva e pode refletir um futuro melhor. “Sempre que a gente envolve Deus, em qualquer coisa, é bom. Isto será bom para eles e para a própria comunidade. Onde Deus está, milagres acontecem”, frisa Mello. Para o detento B.S., há três anos na unidade prisional, a celebração foi importante. “Senti a presença de Deus. Ele representa tudo na minha vida”.
Fonte: Diocese de Criciúma

DEIXE UM COMENTÁRIO