Padre Antônio Carlos da Silva é eleito coordenador da PCr do Paraná

 Em Notícias

Capa_interna_superior_novo_coordenador_paranaEm assembleia eletiva, entre os dias 14 e 15 de junho, com a presença de cerca de 50 coordenadores diocesanos e agentes da Pastoral Carcerária, foi eleita a nova coordenação estadual da PCr no Paraná.
O coordenador eleito é o padre Antônio Carlos da Silva, da Arquidiocese de Maringá, tendo como vice a irmã Luciene de Melo, da Diocese de Toledo; como secretária Cristina da Silva Souza Coelho, da Arquidiocese de Londrina; como tesoureiro Edson Fabiano Vasconcelos, da Diocese de Paranavaí; e como representante da província de Curitiba ficou o Diácono Manoel Pereira da Silva e como articulador da Justiça Restaurativa no Estado, Luiz Jadilmo Bedatty, da Arquidiocese de Cascavel.
A assembleia aconteceu no Centro Pastoral Passionista, em Ponta Grossa, e também buscou avaliar e fortalecer a caminhada dos agentes da PCr, para que se revigorarem na comunhão e lançam-se à missão de levar o Evangelho de Jesus Cristo às pessoas presas.
Dom João Alves dos Santos, bispo referencial para a Pastoral Carcerária no Paraná, esteve presente no encontro e falou sobre o anseio dos bispos do Regional Sul 2 de fazer acontecer, com mais ênfase, a Pastoral no sistema prisional e nas políticas penais, uma vez que no Paraná há mais de 32 mil pessoas privadas da liberdade.
Interna_inferior_Assembleia_parana_internaPadre Valdir João Silveira, coordenador nacional da Pastoral Carcerária, que assessorou a assembleia junto com o padre Mário Spaki, secretário executivo do Regional, fez uma análise de conjuntura do sistema prisional brasileiro: ressaltou o encarceramento em massa e a necessidade de que sejam realizadas ações coordenadas e de enfrentamento “a esse terrível sistema de pecado: o sistema penal brasileiro”.
Os agentes desta Pastoral mostraram consciência da importante missão que realizam e dos desafios cotidianos que enfrentam, ancorando suas atividades na frase do Evangelho “foi a mim que o visitastes”, dita pelo próprio Senhor Jesus Cristo, que se identificou com quem está preso.
Fonte: Arquidiocese de Maringá

DEIXE UM COMENTÁRIO