Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Nota do ITTC pelas manifestações do arcebispo da Paraíba sobre revista vexatória

 em Notícias

ITTCO Instituto Terra, Trabalho e Cidadania divulgou, em 24 de março, nota pública contra as manifestações de dom Aldo Pagotto, arcebispo da Paraíba, nas quais este se diz favorável à revista vexatória em familiares de presos

“Para nós do ITTC, os efeitos da revista vexatória podem ser comparados com os da tortura e é, portanto, uma violação grave aos Direitos Humanos. O ITTC está engajado na luta pelo fim da revista vexatória e repudia manifestações como a do arcebispo da Paraíba”, consta em um dos trechos da nota, na qual, também, se repudia a atitude do Arcebispo de afastar a senhora Guiany Campos e o padre Bosco Nascimento da Pastoral Carcerária daquela Arquidiocese.

 

Segue a íntegra da nota:

Nota pública contra as manifestações do arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, a favor da revista vexatória em familiares de presos

Na contramão da luta de diversas organizações de Direitos Humanos pelo fim da revista vexatória, a Pastoral Carcerária da Paraíba sofreu uma grande perda com o afastamento de dois dos seus membros mais atuantes e comprometidos com a missão da instituição, a senhora Guiany Campos e o padre Bosco Nascimento. O afastamento foi feito pelo arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, alegando que fazia isso porque “por uma questão de princípios não aturava a ‘tendência marxista’ aplicada pelos até então representantes da Pastoral na Paraíba, e que é ’sim’ a favor da revista vexatória”.

A revista vexatória é uma rotina de praxe que precede as visitas dos familiares em unidades de privação de liberdade em praticamente todo o território nacional. Para que familiares, esposas e companheiras consigam manter algum vínculo com o preso, é necessário se despir completamente, exibir as genitália e, às vezes, assoprar dentro de um saco e/ou fazer agachamentos. Os relatos podem ser ainda piores e comportam xingamentos de toda natureza, ofensas e maus tratos. Idosos, grávidas e crianças não são excluídos da revista e também passam por essa rotina degradante. Por este motivo, a prática da revista é completamente humilhante e deve ser abolida em todo o território nacional.

A Paraíba foi pioneira na criação de uma lei estadual proibindo a revista vexatória (Lei Estadual 6.081/2010), de modo a resguardar a dignidade humana. Esta lei, contudo, é pouco respeitada e a sua eficácia depende diretamente da atuação incisiva de organizações como a Pastoral Carcerária. É extremamente preocupante que lideranças ativas no combate a uma prática que institucionaliza a violação à integridade pessoal e ao direito à privacidade tenham suas vozes silenciadas de forma autoritária.

Para nós do ITTC, os efeitos da revista vexatória podem ser comparados com os da tortura e é, portanto, uma violação grave aos Direitos Humanos. O ITTC está engajado na luta pelo fim da revista vexatória e repudia manifestações como a do arcebispo da Paraíba.

 

Recommended Posts

Deixe um comentário