Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

No Rio de Janeiro, parcerias e formações marcam ano

 em Notícias

Nos meses de dezembro e janeiro, o Site da PCr Nacional apresenta uma série de reportagens com os balanços das atividades da Pastoral nos estados no ano de 2013.

O primeiro a ser reportado é o Rio de Janeiro, que às vésperas da Jornada Mundial da Juventude vivenciou a passagem da Cruz e do Ícone de Nossa Senhora, símbolos da JMJ, pelos presídios, cena que se repetiu em muitas cidades do país.

Interna_Superior_PCr_RioDe acordo com Vera Lúcia Alves, coordenadora da PCr no Regional Leste 1 da CNBB, as prioridades de ação em 2013 foram: aumentar o número de agentes de Pastoral em cada unidade prisional; promover o curso de formação para novos agentes; visitas de monitoramento às unidades prisionais, com posterior elaboração de relatórios circunstanciados e sistematizados sobre as visitas; atendimento às famílias e egressos; além da organização da assembleia estadual, realizada em agosto.

ASSISTA REPORTAGEM SOBRE A ASSEMBLEIA ESTADUAL

A coordenadora estadual avalia que em relação a 2012, o ano foi de avanços para a PCr no Rio de Janeiro, especialmente por ter conseguido que a Secretaria de Administração Penitenciária (SEAP) atendesse a reivindicação de aumento de seis para dez agentes de pastoral nas unidades prisionais fluminense. Ela também considerou positiva, “a parceria com o Conselho Penitenciário do Estado e com o Conselho da Comunidade da Vara de Execuções da Comarca do Rio; e a construção e manutenção de informações sobre atuação dos órgãos na prevenção à tortura no Rio de Janeiro”, comentou.

Interna_inferior_Vera_Lucia_RioVera Lúcia lembrou ainda que em 2013, temáticas como Justiça Restaurativa, superlotação carcerária e combate à revista vexatória foram trabalhadas com agentes da Pastoral em reuniões e encontros mensais; e cobradas das autoridades por meio de relatórios detalhados, reuniões e denúncias aos órgãos competentes.

Para 2014, segundo a coordenadora, serão prioridades as mobilizações para a ampliação de penas e medidas alternativas para os crimes de menor potencial ofensivo; a formação de novos agentes; além da aplicação gradativa da Justiça Restaurativa, em parceria com a Vara de Execuções Penais.

Ainda sobre 2014, Vera Lúcia afirma que “seria de fundamental importância para a Pastoral Carcerária um apoio maior por parte da Igreja”; e afirmou, também, que espera que nacionalmente haja maior articulação junto ao poder público “objetivando maior visibilidade ao trabalho da Pastoral Carcerária”, opinou.

Recommended Posts

Deixe um comentário