No Piauí, PCr tem dificuldade no acesso às unidades prisionais

 Em Notícias

Para constatar a situação prisional no Piauí e tratar da organização e formação da Pastoral Carcerária nas dioceses daquele estado, o coordenador nacional da PCr, padre Valdir João Silveira, visitou quatro dioceses do Regional Nordeste 4, entre 17 e 22 de agosto.
De acordo com o padre, que esteve em unidades prisionais em Teresina, Picos, São Raimundo Nonato e Floriano, as condições dos cárceres não são das melhores e há dificuldade de acesso para as atividades da Pastoral Carcerária.
“Nas unidades que visitei, cinco ao todo, em nenhuma a Pastoral Carcerária tem acesso direto aos presos. Esse foi um tema que enfrentei para conseguir falar com os presos como também para conseguir entrar com máquina fotográfica em todos, mas consegui”, disse.
Segundo o coordenador nacional da Pastoral, “a situação jurídica já é reconhecida, com 70% dos presos provisórios. Encontramos muitas pessoas sem ida ao Fórum há muitos meses e anos. As condições dos prédios, do material das celas, da saúde, da alimentação estão em situação de denuncias internacional”, avaliou.
Articulações pastorais
Ao longo dos dias de visita ao estado, padre Valdir, por meio de reuniões, palestras e ida às comunidades, conversou com agentes de diferentes pastorais, padres, advogados, líderes de outras igrejas e defensores públicos.
Padre Valdir destacou a conversa que teve com dom Plínio José Luz da Silva, bispo de Picos e secretário do Regional Nordeste 4 da CNBB. “Ele se demonstrou muito interessado em ajudar, assim como buscou se informar como poderá realizar este trabalho”.
Na Diocese de Picos, padre Valdir concedeu entrevista à rádio diocesana e também ao site do Regional Nordeste 4 da CNBB, explicando o funcionamento da pastoral e de como pode ser criada nas paróquias.
Em Teresina, junto ao arcebispo dom Jacinto Brito, planejou as ações da Pastoral na Arquidiocese, proferiu palestra aos agentes das pastorais do povo da rua, saúde e Carcerária, além de pessoas que ajudam na recuperação de dependentes químicos; e também auxiliou nas visitas para assistência jurídica, espiritual e social no presídio feminino.
Em São Raimundo Nonato, o coordenador nacional da PCr reuniu-se com integrantes do conselho da comunidade, defensores públicos e com o juiz corregedor da comarca local; e em Floriano, teve reuniões na defensoria pública e com o bispo dom Valdemir Ferreira.

DEIXE UM COMENTÁRIO