Jubileu dos Presos é celebrado em presídio na cidade de Criciúma (SC)

 Em Notícias

A Pastoral Carcerária da Diocese de Criciúma celebrou o Jubileu dos Presos, em 9 de novembro, no Presídio Santa Augusta, em Criciúma (SC), atendendo ao pedido feito pelo Papa Francisco de que a Igreja celebrar também junto àqueles que estão no cárcere, durante o Ano Santo extraordinário da Misericórdia.
A missa no presídio foi presidida por Dom Jacinto Inacio Flach, bispo diocesano, e concelebrada pelo assessor eclesiástico da Pastoral Carcerária, Padre José Aires Pereira. Um grupo de 30 presos foi selecionado pela direção da unidade prisional para a celebração, que contou com a participação de 13 agentes pastorais, entre eles seminaristas, e mais nove agentes penitenciários, incluindo o diretor do Presídio, Felipe Alves Goulart.
Dom Jacinto, na homilia, recordou que o Jubileu dos Presos foi realizado a milhares deles, no mundo todo, em 6 de novembro, e explicou o que a Igreja quer dizer quando fala em misericórdia.
“Nossa miséria humana precisa encontrar o coração de Deus. Jesus morreu na cruz, não porque somos santos e perfeitos, mas porque somos pecadores, necessitados de seu amor. Deus espera que nós reconheçamos nossos pecados. Ele não se escandaliza conosco, pois conhece cada um de nós. E não olha com raiva ou ódio, mas nos ama; sabe que precisamos mudar de vida – eu e vocês – todo mundo precisa, para que, no fim de nossa vida, possamos encontrá-lo face a face. Vocês estão aqui. Isto não significa que perderam a misericórdia. Jesus mesmo disse que veio para os que mais precisam. Sempre digo que o caminho que leva ao inferno é o orgulho, por isso precisamos reconhecer nossas faltas. Amanhã vocês poderão estar lá fora e cultivar uma vida nova, junto às suas famílias e pessoas que tanto amam”, afirmou o Bispo.
A Igreja Católica visita semanalmente o presídio às quartas-feiras por meio de agentes leigos, religiosas e seminaristas. Segundo o gerente da unidade, Felipe Goulart, esta iniciativa auxilia no processo de ressocialização dos encarcerados, que atualmente somam 688, entre eles, 80 mulheres.
“Sempre disse à Secretária de Justiça, Ada de Luca, que a estrutura deve ser mais humana, pois o fato de errar não deve tirar a dignidade de filhos e filhas de Deus”, disse Dom Jacinto, que após a missa visitou as obras que estão sendo feitas na unidade prisional.

Fonte: Diocese de Criciúma

DEIXE UM COMENTÁRIO