Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Conselho da comunidade de Porto Velho repudia revista vexatória em Rondônia

 em Notícias

Conselho_comunidade_Porto_VelhoEm nota pública divulgada no começo do mês de maio, o Conselho da Comunidade na Execução Penal de Porto Velho, repudiou a permissão, por parte do Governo de Rondônia, da prática de revista vexatória nas unidades prisionais daquele estado.

No entender do Conselho, a permissão para a prática “afronta a própria Constituição Federal, tratados internacionais e normativas infraconstitucionais, ao submeter pessoas não apenadas, em sua maioria mulheres e crianças, ao desnudamento e exibição invasiva de suas partes íntimas perante agentes públicos do Estado e de outros visitantes quando da visita de familiares reclusos em estabelecimentos prisionais”.

Ainda de acordo com a nota, “com esse ato, o Estado de Rondônia caminha na contramão para uma política penitenciária humanizada, a exemplo de Goiás e Santa Catarina, que aboliram a chamada revista vexatória”.

Abaixo segue a íntegra da nota:

 

NOTA DE REPÚDIO

O Conselho da Comunidade na Execução Penal – CCEP, órgão de direito com atuação no sistema penitenciário da Comarca de Porto Velho, devidamente constituído nos termos da Lei 7.210/1984, vem a público formalizar veementemente repúdio ao ato do Governo do Estado de Rondônia em legalizar a revista vexatória no sistema prisional estadual, através da portaria 520/GAB/SEJUS, de 10 de março de 2014, pela Secretaria de Estado da Justiça.

O ato acima emanado afronta a própria Constituição Federal, tratados internacionais e normativas infraconstitucionais, ao submeter pessoas não apenadas, em sua maioria mulheres e crianças, ao desnudamento e exibição invasiva de suas partes íntimas perante agentes públicos do Estado e de outros visitantes quando da visita de familiares reclusos em estabelecimentos prisionais.

Em nome da segurança, o Estado viola direitos fundamentais de pessoas livres que presumidamente, por apenas serem familiares de apenados, são tratados de forma discriminatória, degradante e desumana, sem que o Estado busque alternativas e meios dignos para garantir o direito dessas pessoas em visitar seus familiares reclusos.

Com esse ato, o Estado de Rondônia caminha na contramão para uma política penitenciária humanizada, a exemplo de Goiás e Santa Catarina, que aboliram a chamada revista vexatória.

A revista vexatória é considerada “mau trato” pela ONU e, dependendo das circunstâncias, configura tortura.

Por estas e outras razões, este órgão colegiado reafirma sua posição contrária ao procedimento de revista pessoal dos familiares presos e outros visitantes às unidades prisionais.

 

Recommended Posts

Deixe um comentário