Com coordenação estadual estruturada, PCr de Mato Grosso faz planos para 2015

 Em Notícias

Interna Coordenacao PCr Mato GrossoPadre Valdevino José de Almeida, um dos coordenadores da Pastoral Carcerária de Mato Grosso, não tem dúvidas: o maior avanço da PCr estadual em 2014 foi conseguir definir uma equipe de coordenação, algo que não existia até setembro.
“A prioridade em 2014 foi da elaboração do Encontro Estadual da Pastoral Carcerária com intuito formativo e com a escolha de uma coordenação estadual. O Encontro aconteceu em Primavera do Leste, nos dias 19 a 21 de setembro, com a assessoria da então vice-coordenadora Nacional, Irmã Petra Silvia Pfaller”, lembra-se o Padre, da Diocese de Sinop, que coordena a Pastoral estadual junto com Douglas Salviano, da Diocese de Rondonópolis-Guiratinga, e Ana Claúdia, da Arquidiocese de Cuiabá.
“Estamos no início de um trabalho de coordenação, mas seguimos firmes, pois, estamos em sintonia com a coordenação nacional da Pastoral Carcerária, e ao mesmo tempo, em sintonia com os nossos bispos do Regional Oeste 2 da CNBB”, afirmou Padre Valdevino, que destacou que, ao longo de 2014, cada equipe local da Pastoral atuou contra a revista vexatória.
E para 2015, o que a Pastoral Carcerária do Mato Grosso pretende assumir como prioridades? Muitas coisas, segundo o Padre. “A principal entre elas é a missão de implantar a Pastoral Carcerária e/ou oferecer formação nas oito dioceses e uma prelazia do Regional Oeste 2 da CNBB, tendo em cada diocese e prelazia um coordenador e vice; outra prioridade é a realização da Assembleia Regional da Pastoral Carcerária a realizar-se de 18 a 20 de setembro de 2015, em Cuiabá (MT); outra prioridade é a de fomentar na sociedade a temática dos Direitos Humanos, Justiça Restaurativa, Agenda pelo Desencarceramento e a tentativa de elaboração do Curso de Capelania junto a Faculdade Sedac. Outra prioridade é a de trabalhar a questão da mulher presa, com uma coordenação específica”, detalhou.
Segundo Padre Valdevino, a participação na assembleia nacional da PCr fez com que a coordenação estadual voltasse animada para a missão no Mato Grosso. Ele apontou que a presença da coordenação nacional junto às demandas da PCr de Mato Grosso “tem sido fundamental no sentido de abrir canal de assistência no campo jurídico com a atuação do Paulo Malvezzi [assessor jurídico nacional], na presença da Irmã Petra fazendo formação”, afirmou, esperando que “a Pastoral Carcerária Nacional tenha o mesmo olhar, sintonia e solidariedade que vem exercendo junto ao nosso Regional Oeste 2”, e que a coordenação nacional siga combatendo as propostas de privatização de presídios.
O integrante da coordenação da PCr de Mato Grosso também deseja que alguém da equipe estadual faça o curso de Justiça Restaurativa para ser um multiplicador naquele estado.

DEIXE UM COMENTÁRIO