Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Cena de novela e reportagem de tevê abordam questão da revista vexatória

 em Notícias

prisoes_vexatoriasAs reflexões sobre a revista vexatória tiveram espaço na tevê brasileira nos últimos dias, em uma cena da novela Império, da TV Globo, e em uma reportagem da Rede Vida de Televisão.

No capítulo da novela que foi ao ar em 6 de agosto, duas personagens são submetidas ao procedimento de revista vexatória. Em uma das cenas, uma moça é mostrada na fase final da revista, já se vestindo, enquanto a agente penitenciária vasculha as coisas que levou ao presídio. Ao se deparar com uma sacola com “bolinhos de chuva” açucarados, a agente pergunta se aquele pó branco era mesmo açúcar e, instantes depois, joga a sacola no lixo.

A outra cena é mais emblemática sobre os procedimentos de revista. Uma moça negra, que vai visitar seu parente na prisão, é recepcionada de forma hostil pela agente penitenciária. A moça é ridicularizada pelos itens que levou ao parente, tais como um hidratante importado. Todo o procedimento de revista vexatória é detalhado: a mulher se despe, é obrigada a se agachar, sendo examinada pela agente com as mãos. Só depois, é autorizada a se vestir e realizar a visita.

Durante a cena, as expressões faciais da moça que passou pela revista denotam constrangimento e um olhar próximo de uma situação de choro.

Bispo fala de revista vexatória na Rede Vida de Televisão

Também em recente reportagem da Rede Vida de Televisão, que repercutiu a carta enviada ao governador de São Paulo pelo Regional Sul 1 da CNBB e a Pastoral Carcerária pedindo o fim da revista vexatória, dom Otacílio Luziano da Silva, bispo de Catanduva e referencial da PCr em São Paulo, esclareceu porque a revista vexatória é um procedimento constrangedor.

Dom_Otacilio“Na revista vexatória, quando a pessoa vai visitar o preso, muitas vezes tem que ficar nua, seminua, e quem está revistando tem que colocar a pessoa a frente dela, praticamente nua, tem que tocar nas partes íntimas para ver se não está levando algum objeto proibido, como drogas, celulares, ou algo assim”, detalhou.

Dom Otacílio explicou que a Pastoral deseja que o procedimento de revista ocorra de modo mais humanizado, “através de aparelhos, detector de metais, através de raio-x. O argumento é que mesmo com esta revista vexatória não se está conseguindo vedar a entrada de drogas, celulares e outros aparelhos dentro do presídio”.

O Bispo comentou, ainda, sobre a situação de calamidade nos presídios do país, com superlotações e falta de alternativas viáveis para ressocializar os presos. “A Pastoral Carcerária entende que se a pessoa cometeu um crime tem que pagar, não é para ficar impune, no entanto, que seja uma punição que não deteriore a humanidade, mas o ajude a tornar-se mais humano”, finalizou.

ASSISTA À REPORTAGEM DA REDE VIDA DE TELEVISÃO

Recommended Posts

Deixe um comentário