Após encontro com o Papa, Kenarik Boujikian receberá Título de Cidadã Paulistana

 Em Notícias

KenarikEm sessão solene na Câmara Municipal de São Paulo (viaduto Jacareí, 100, 1º andar, Bela Vista), em 8 de junho, às 19h, a desembargadora Kenarik Boujikian Felippe, juíza substituta do Tribunal de Justiça de São Paulo, receberá o Título de Cidadã Paulistana.
No começo deste ano, Kenarik foi representada na Corregedoria Geral de Justiça do E. Tribunal de Justiça de São Paulo após ela, na qualidade de relatora de alguns processos que tramitam em sede de apelação do E. Tribunal, decidir cautelarmente pela expedição de alvará de soltura para dez réus que estavam presos preventivamente há mais tempo do que a pena estabelecida na sentença.
A representação gerou revolta nos grupos e pessoas que atuam em favor dos direitos humanos, entre os quais a Pastoral Carcerária Nacional, que emitiu nota de apoio à desembargadora Kenarik Boujikian Felippe, à época.
Encontro com o Papa Francisco
Em 9 de maio, a desembargadora Kenarik, na companhia da atriz Letícia Sabatella, encontrou-se com o Papa Francisco no Vaticano.
“O encontro se deu em razão de um pedido dos movimentos populares para manter este diálogo com o Papa Francisco, que já há algum tempo já mantém essa conversa com os movimentos populares. Em 2014, o Vaticano fez um encontro aqui na sala do Sínodo; em 2015, fez outro encontro na Bolívia com os movimentos populares. O primeiro encontro tinha por eixo três temas fundamentais: terra, trabalho e teto. Em razão dos acontecimentos no Brasil, os movimentos populares queriam trazer ao Papa Francisco as suas preocupações. Por essa razão, eu e Letícia Sabatella estivemos aqui, por quase uma hora, relatando o que está acontecendo em nosso País”, afirmou a desembargadora à Rádio Vaticano.
Ainda segundo Kenarik, “as preocupações dos movimentos populares, é que nós tivemos um grande avanço em direitos civis, econômicos e sociais na última década, e em razão de uma proposta que não aceita esses avanços, a ideia é de romper a nossa Constituição e para isso está se usando a figura do impeachment, de forma não prevista na nossa Constituição e nas leis. Essa é a grande preocupação, que haja um retrocesso, que haja um rompimento do Estado Democrático de Direito”.
Kenarik e Letícia entregaram ao Papa uma carta denunciando a ilegalidade do impeachment da presidenta Dilma Rousseff. A carta é assinada pelo advogado Marcello Lavenère, membro da Comissão Justiça e Paz da CNBB.
O encontro ocorreu na Casa Santa Marta, residência do Pontífice, e durou cerca de 45 minutos. Letícia e Kenarik falaram em português e o papa, em espanhol. “Ele nos ouviu atentamente, nos disse que irá orar pelo povo brasileiro, que se preocupa com o Brasil. Perguntando sobre a postura de diálogo necessário sobre o nosso ponto de vista, ele reiterou que o diálogo é uma necessidade para a construção de um mundo melhor para todos”, afirmou Kenarik à Rádio França Internacional (RFI).
Fontes: Rádio Vaticano, Rede Brasil Atual e Câmara Municipal de São Paulo
 
FAÇA PARTE DA PASTORAL CARCERÁRIA
 

DEIXE UM COMENTÁRIO