Highslide for Wordpress Plugin
Notícias › 31/03/2014

Nota do ITTC pelas manifestações do arcebispo da Paraíba sobre revista vexatória

ITTCO Instituto Terra, Trabalho e Cidadania divulgou, em 24 de março, nota pública contra as manifestações de dom Aldo Pagotto, arcebispo da Paraíba, nas quais este se diz favorável à revista vexatória em familiares de presos

“Para nós do ITTC, os efeitos da revista vexatória podem ser comparados com os da tortura e é, portanto, uma violação grave aos Direitos Humanos. O ITTC está engajado na luta pelo fim da revista vexatória e repudia manifestações como a do arcebispo da Paraíba”, consta em um dos trechos da nota, na qual, também, se repudia a atitude do Arcebispo de afastar a senhora Guiany Campos e o padre Bosco Nascimento da Pastoral Carcerária daquela Arquidiocese.

 

Segue a íntegra da nota:

Nota pública contra as manifestações do arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, a favor da revista vexatória em familiares de presos

Na contramão da luta de diversas organizações de Direitos Humanos pelo fim da revista vexatória, a Pastoral Carcerária da Paraíba sofreu uma grande perda com o afastamento de dois dos seus membros mais atuantes e comprometidos com a missão da instituição, a senhora Guiany Campos e o padre Bosco Nascimento. O afastamento foi feito pelo arcebispo da Paraíba, Dom Aldo Pagotto, alegando que fazia isso porque “por uma questão de princípios não aturava a ‘tendência marxista’ aplicada pelos até então representantes da Pastoral na Paraíba, e que é ’sim’ a favor da revista vexatória”.

A revista vexatória é uma rotina de praxe que precede as visitas dos familiares em unidades de privação de liberdade em praticamente todo o território nacional. Para que familiares, esposas e companheiras consigam manter algum vínculo com o preso, é necessário se despir completamente, exibir as genitália e, às vezes, assoprar dentro de um saco e/ou fazer agachamentos. Os relatos podem ser ainda piores e comportam xingamentos de toda natureza, ofensas e maus tratos. Idosos, grávidas e crianças não são excluídos da revista e também passam por essa rotina degradante. Por este motivo, a prática da revista é completamente humilhante e deve ser abolida em todo o território nacional.

A Paraíba foi pioneira na criação de uma lei estadual proibindo a revista vexatória (Lei Estadual 6.081/2010), de modo a resguardar a dignidade humana. Esta lei, contudo, é pouco respeitada e a sua eficácia depende diretamente da atuação incisiva de organizações como a Pastoral Carcerária. É extremamente preocupante que lideranças ativas no combate a uma prática que institucionaliza a violação à integridade pessoal e ao direito à privacidade tenham suas vozes silenciadas de forma autoritária.

Para nós do ITTC, os efeitos da revista vexatória podem ser comparados com os da tortura e é, portanto, uma violação grave aos Direitos Humanos. O ITTC está engajado na luta pelo fim da revista vexatória e repudia manifestações como a do arcebispo da Paraíba.

 


Pastoral Carcerária Nacional – CNBB

Praça Clovis Bevilácqua, 351, conj. 501 – Centro CEP 01018-001 – São Paulo, SP
Tel/fax (11) 3101-9419 – E-mail: imprensa@carceraria.org.br

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados