Votos de Páscoa da Coordenação da Pastoral Carcerária

 Em Igreja em Saída

Páscoa, dia da nova criação, das pedras levantadas de tantos corações, surge o canto das “Marias” que procuram seus filhos, filhas, esposos, companheiros ainda mergulhados nos infernos das masmorras, das grades que algemam, prendem, esmagam e matam.
Também as “Marias”, jogadas no inferno de um sistema que as embrutece, castigado-as por sua coragem, por sua fidelidade, para não ter abandonado seus filhos na hora das trevas e da morte, por terem ficado de pé ao lado de seus companheiros, mesmo quando a lógica do mercado as transforma em réus, simplesmente para salvar vidas, se eleva o grito de vida e de esperança.
Confiamos  às “Marias” do Sábado Santo, mudas e envolvidas pelo silêncio da dor, dos túmulos sem vida, a esperança do grito que sai dos biomas e das vísceras de nossa Mãe Terra, onde se levanta o canto festoso de Maria de Magdala, que anuncia o nascimento de um novo bioma, onde a vida plena, a fraternidade e o amor dão espaço a uma nova humanidade cujo horizonte  é o “mundo sem cárcere”.
Feliz Páscoa a todos, encarcerados, encarceradas, famílias, agentes de Pastoral.
 
Coordenação Nacional da Pastoral Carcerária.

DEIXE UM COMENTÁRIO