Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Com PCr, presos do Rio Grande do Sul vivenciam o Ano Santo da Misericórdia

 em Igreja em Saída

Aproxima-se o fim do Ano Santo extraordinário da Misericórdia, que será concluído em 20 de novembro pelo Papa Francisco. Em todo mundo, os fiéis puderam vivenciar este momento especial com peregrinações, confissões e práticas das obras de misericórdia.

Este Ano Santo também chegou às pessoas encarceradas por meio das ações da Pastoral Carcerária, não só durante o Jubileu dos Presos, celebrado no último dia 6 de novembro, mas durante todo este período extraordinário para a Igreja.

No Rio Grande do Sul, a Pastoral Carcerária estabeleceu como meta que as pessoas encarceradas em todas as unidades prisionais gaúchas pudessem vivenciar o Ano Santo extraordinário da Misericórdia, como contaram em entrevista à Rede Vida de Televisão a Imelda Maria Jacoby, da coordenação estadual da PCr no Rio Grande do Sul, e Dom Liro Meuer bispo de Santo Ângelo é o bispo referencial da Pastoral Carcerária no Rio Grande do Sul (Regional Sul 3 da CNBB).

CLIQUE E ASSISTA A REPORTAGEM

http://redevida.com.br/programa/jctv/pastoral-da-carceraria-leva-jubileu-da-misericordia-aos-presos-do-rs.html

“Cada preso poderá fazer da porta da sua cela essa passagem pela Porta Santo, estando preparado, consciente, dessa oportunidade extraordinária de viver e de receber também essa graça que é concedida a todos aqueles que na Igreja tiverem esse senso de consciência da gratuidade de Deus e esse desejo de fato de viver a salvação”, afirmou a Irmã Imelda.

Já Dom Liro enfatizou que a misericórdia precisa ser recíproca. “Não adianta dizer que somos misericordiosos, que Deus é misericordioso, se, de fato, na prática do dia a dia, nós não conseguimos ser misericordiosos. Que a sociedade possa ter essa compreensão, que a misericórdia e o amor não são para algumas pessoas, não se pode rejeitar essas pessoas [os presos], colocando-as de lado porque erraram. É preciso que alguém estenda sua mão”, comentou.

Ainda segundo a Irmã, neste Ano Santo a Pastoral buscou vivenciar as obras de misericórdia espirituais e corporais.

 

Recommended Posts

Deixe um comentário