PCr de Santa Catarina reafirma luta pela defesa dos direitos dos presos

 Em Combate e Prevenção à Tortura

Santa Catarina internaEm 21 de março, 30 representantes de 9 das 10 dioceses que compõem a Pastoral Carcerária no Regional Sul 4 da CNBB, Santa Catarina, estiveram reunidos na Casa de Encontros Irmã Jandira Bettoni, das Irmãs do Apostolado Paroquial, em Lages (SC).
Durante o dia, padres, religiosas, seminaristas e demais agentes da Pastoral Carcerária refletiram sobre vários temas relevantes da Pastoral Carcerária em Santa Catarina e no Brasil. Foi destacada a importância em dar continuidade ao Curso de Justiça Restaurativa, e se estabeleceu o compromisso de organizar um curso de formação de novos agentes da Pastoral Carcerária em nível de regional.
“Nesta reunião, refletimos sobre a importância de estarmos atentos aos diversos sinais no dia-a-dia das nossas visitas: as dificuldades em adentrarmos os diversos locais onde se encontram os detentos, celas, galerias, pátio; as diversas queixas que chegam até nós com relação a saúde, alimentação, mal tratos, visitas; aquilo que vemos e que muitas vezes eles e elas não nos falam, como o próprio ambiente, a realidade em que vivem, as condições desumanas que se encontram. Enfim, até que ponto somos sinais de profecia no interior das unidades prisionais? O que devemos fazer com todas as informações que chegam até nós? Como levar essas informações até as autoridades e mesmo ao grande público para que a informação se transforme em ação?”, conta o Padre Almir José Ramos, coordenador da PCr de Santa Catarina.
Ainda durante a reunião, houve a escolha de representantes das diversas dioceses para as articulações sobre a questão da mulher presa, saúde e comunicação. Também houve a despedida da Irmã Vilma, vice-coordenadora regional, que foi transferida para o estado da Bahia.
“Refletimos também sobre a importância de participarmos das etapas municipais da 15ª Conferência Nacional da Saúde, pois entendemos que é um espaço onde estaremos discutindo o tema saúde, com outras entidades e organizações e nós da Pastoral Carcerária estaremos levando aquilo que temos, sabemos, vemos e sentimos em nossa prática pastoral: a realidade da saúde no sistema prisional, bem como lutando por acesso à saúde, com qualidade e dignidade, das nossas irmãs e irmãos prisioneiros”, detalha Padre Almir.
Na reunião também ficou definido que a Pastoral será mais atuante na Conferência da Juventude, juntamente com a Pastoral da Juventude, a fim de continuar lutando contra o extermínio de jovens e para apresentar outras bandeiras de lutas e resistências.
“Concluímos a reunião entusiasmados alegres e felizes, certos de que a missão é longa, bela, na certeza de que o Senhor está conosco, pois é Ele mesmo que nos aponta a direção a seguir dizendo-nos: ‘Eu vim para Servir’ (Mc 10,45)”, conclui Padre Almir.

DEIXE UM COMENTÁRIO