Equipe da PCr de São Paulo constata superlotação em Mauá e Guarulhos

 Em Combate e Prevenção à Tortura

PCR Sao PauloOs últimos dias têm sido de intensa missão para os integrantes da Coordenação Estadual da PCr-SP/CNBB-SUL 1. Em 9 de maio, às 15h, foi celebrada a Missa do Dia das Mães na Penitenciária Feminina da Capital (PFC). Estiveram presentes cerca de 300 mulheres encarceradas na unidade.
Além do presidente da celebração, o Padre Emerson Andrade de Lima, assessor espiritual da PCr-SP/CNBB-SUL1, representaram a Pastoral o coordenador estadual, Deyvid T. Livrini Luiz, o secretário executivo, Adolfo Oliosi, a Coordenadora da PCr na Região Episcopal de Santana e assessora da coordenação estadual, Eliana Rocha, além da integrante do escritório estadual e agente de Pastoral, Givanilda de Jesus.
Em 12 de maio, Deyvid, acompanhado pelo advogado da PCr Estadual, doutor Francisco de Barros Crozera, visitaram o CDP de Mauá, unidade com capacidade para 624 pessoas e que conta atualmente com 1.501 encarcerados. Francisco e Deyvid, após momento religioso, ouviram as solicitações dos presos e os orientaram sobre os mais diversos aspectos. No final da visita, foram recebidos pelo diretor da unidade, o doutor Vinicius Hilario Costa Lopes.
E em 14 de maio, Padre Emerson, Adolfo, Francisco e Deyvid visitaram o CDPII de Guarulhos, acompanhando o coordenador diocesano da PCr em Guarulhos, o senhor Luis Carlos Ferreira, e o agente local, o senhor Claudemir. O maior problema detectado, e que já é de conhecimento da Pastoral Carcerária, é a superlotação. A isso se somam as solicitações dos encarcerados por atendimento jurídico adequado, atendimento médico de qualidade, melhoria na alimentação, entre outros. Destaca-se e preocupa a falta da água. A equipe, além de visitar dois raios da unidade, teve acesso ao seguro, onde se encontravam 49 homens.

DEIXE UM COMENTÁRIO