Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Em artigo, pesquisadores analisam a cobertura midiática pró-redução da idade penal

 em Combate e Prevenção à Tortura

Menores_apreendidos“Redução da Maioridade Penal e Congresso Nacional: Crimes Violentos, Mídia e Populismo Penal” é o título do artigo publicado na Revista Brasileira de Adolescência e Conflitualidade, pelos pesquisadores Fernando Salla, do programa de Pós-graduação da Universidade Anhanguera de São Paulo; Marcos César Alvarez, do Departamento de Sociologia da USP; e

Marcelo da Silva Campos, da Faculdade de Ciências Humanas da Universidade Federal de Dourados. Este último já atuou na Pastoral Carcerária.

CLIQUE E ACESSE A ÍNTEGRA DO ARTIGO

O artigo discute o contexto e o sentido da punição contidos nas propostas legislativas recentes que procuram alterar o Estatuto da Criança e do Adolescente (ECA), analisando a relação dos discursos produzidos em alguns meios de comunicação sobre a criminalidade juvenil com as propostas de redução da idade penal apresentadas pelos parlamentares.

Os autores indicam a hipótese de que a dramatização da repercussão pública sobre as ocorrências de criminalidade que envolvem menores de idade impactam na apresentação e discussão das propostas favoráveis à redução da maioridade penal no Congresso Nacional.

“Pretende-se indicar como alguns veículos de comunicação de massa contribuem para a apresentação e tramitação das propostas favoráveis à redução da maioridade penal. Nesse contexto, retoma-se o populismo penal e o que Pires (2004, 2013) denomina como a racionalidade penal moderna por meio da propagação do mito da irresponsabilidade penal do adolescente para reivindicar, outra vez, a pena aflitiva de prisão e o sofrimento para as crianças e adolescentes autores de atos infracionais”, consta em um dos trechos do texto.

Ao citar a abordagem da revista Veja para ilícitos infracionais envolvendo menores de idade, os autores destacam que esta publicação reforça o mito da “irresponsabilidade penal”, ao desconsiderar que o ECA prevê medidas socioeducativas aos menores infratores. “Estas matérias veiculadas pela revista Veja (e as propostas de emenda à Constituição) reafirmarão uma perspectiva criminalizadora dos jovens no Brasil, pois a educação para a cidadania, defendida pelo ECA, continua em posição de subordinação à perspectiva punitiva dos antigos Códigos de Menores, uma vez que a mentalidade jurídica no Brasil permanece, no geral, predominantemente encarceradora”, analisam.

Nas considerações finais do artigo, os autores lembram que “os meios de comunicação divulgam os crimes de grande repercussão pública e restabelecem, nesses períodos específicos, o debate sobre a maioridade penal por meio da seleção de determinados aspectos sobre o tema. Tal seleção de enquadramento, em especial pela revista Veja, forma o tipo de entendimento e organização da experiência de alguns indivíduos a respeito da questão da redução da maioridade penal, colocando o tema novamente na agenda política”, afirmam, ponderando que tal enquadramento “desconsidera que esses jovens, imersos num processo da ‘criança sem infância’ e da experiência precoce da punição, talvez não tenham o dito discernimento que tanto o direito penal moderno, quanto os redatores das propostas favoráveis à redução da idade penal, a mídia e outros setores da sociedade afirmam veementemente que já possuem”, concluem o texto.

 

FAÇA PARTE DA PASTORAL CARCERÁRIA

Recommended Posts

Deixe um comentário