Highslide for Wordpress Plugin
Mulheres Presas, Notícias › 11/04/2017

Audiência na Câmara dos Deputados debate violência contra mulheres presas

Nesta terça-feira, a Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara dos Deputados realizou uma audiência pública para discutir a violência de gênero nos presídios femininos do Brasil. O debate foi proposto pela deputada Erika Kokay (PT-DF).

A irmã Petra Silva, da coordenação nacional da Pastoral Carcerária foi uma das convidadas para o debate. Durante sua fala, ela expôs fotos de visitas a presídios femininos que agentes da PCr haviam visitado. “Hoje estou falando por essas mulheres presas, que não tem a chance de falar e mostrar suas condições”.

As fotos mostravam celas quentes com uma pequena fresta de ar, mulheres com diversas picadas de baratas e banheiros que eram apenas um buraco no chão.

audiencia petraIr. Petra criticou a ideia de melhorar os presídios, pois “nós não acreditamos que o encarceramento reeduca, socializa. Prisão é prisão, estar dentro de uma cela já é violência”.

Em relação à questão da maternidade no cárcere, Ir. Petra mostrou fotos de crianças e bebês dentro das celas com as mães. “A maternidade no presídio é uma farsa. É uma pena perpétua para a criança, ela vai ter o cárcere marcado nela a vida toda”.

Por fim, a coordenadora da PCr criticou a atuação do Judiciário em não conceder prisão domiciliar às mulheres que estão grávidas ou que são mães. “A consequência do encarceramento é muito mais forte para as mulheres do que para os homens.  Nós temos muitas leis, boas leis, mas o cumprimento delas é falho. Para mim um dos maiores co autores da situação dos presídios é o judiciário. Juízes e promotores que não autorizam a prisão domiciliar são co autores das torturas que acontecem atrás das grades”.

 


Pastoral Carcerária Nacional – CNBB

Praça Clovis Bevilácqua, 351, conj. 501 – Centro CEP 01018-001 – São Paulo, SP
Tel/fax (11) 3101-9419 – E-mail: imprensa@carceraria.org.br

Copyright 2017 © Todos os direitos reservados