Padre Valdir Silveira irá receber prêmio Alceu Amoroso Lima de Direitos Humanos

 Em Agenda Nacional pelo Desencareramento

O coordenador nacional da Pastoral Carcerária, Padre Valdir Silveira, irá receber na próxima terça-feira (12) o prêmio Alceu Amoroso Lima de Direitos Humanos. Pe Valdir foi escolhido por sua atuação na denúncia das violações de direitos e torturas que ocorrem no sistema carcerário brasileiro, além do trabalho religioso que realiza ao visitar os egressos e egressas de todo o país estando à frente da coordenação da PCr e também como o representante da ICCPPC (Comissão Mundial de Pastoral Penitenciária Católica na América Latina).
O Prêmio será entregue dia 12 de dezembro, às 18:00 horas , na Universidade Cândido Mendes (Rua da Assembleia, 10 – 42º Andar – Centro). A entrada é franca.

Criado pela Universidade Candido Mendes (UCAM) e o Centro Alceu Amoroso Lima para a Liberdade (CAALL), o prêmio é concedido anualmente para pessoas, organizações, instituições ou grupos que se destacam na luta pela justiça, pela paz e pelos direitos humanos. Seu nome é uma homenagem ao legado literário, cultural, político e eclesial do intelectual católico Alceu Amoroso Lima.
A premiação é dividida em duas categorias: Direitos Humanos, nos anos ímpares, para pessoas e organizações que exercem uma militância na questão dos Direitos Humanos, e Poesia e Liberdade, nos anos pares, para escritores que tratam do tema.
Também serão concedidas menções honrosas para o padre Paolo Parise e a irmã Rosita Milesi, que realizam trabalhos em favor dos imigrantes e refugiados.
O Irmão Antônio Cecchin e o professor Marco Aurélio Garcia receberão uma homenagem Post Morten. Antônio Cecchin foi militante de movimentos socias e fundador da Comissão Pastoral da Terra (CPT) no Rio Grande do Sul, da Pastoral da Ecologia e da ONG Caminho das Águas. Marco Aurélio Garcia foi responsável pelas posições do Partido dos Trabalhadores (PT) em política externa.
Durante a solenidade será lançado o livro póstumo “Irmão Antônio Cecchin – seguindo o caminho em busca da Terra Sem Males”.
Confira abaixo outras pessoas e organizações sociais que já receberam o prêmio Alceu Amoroso Lima de Direitos Humanos:
1983 – Paulo Sérgio Pinheiro.
1985 – Grupo Tortura Nunca Mais/RS.
1987 – Barbosa Lima Sobrinho.
1989 – Dom Alano Maria Pena, OP/Bispo de Marabá
1991 – Grupo Tortura Nunca Mais/RJ.
1993 – Sandra Regina F. de Oliveira, Eriberto F. de França, Marcelo Quintella.
1999 – Miguel Reale Jr. Menção Honrosa: Projeto de Educação do MST. Post-Mortem: ao Reverendo James Wrigth e a Herbert José de Souza (Betinho)
2001 – Senador Saturnino Braga e Movimento do Ministério Público Democrático.
Prêmio Especial Candido Mendes: João Pedro Stédile
Prêmio Especial Liberdade: Plínio de Arruda Sampaio
2003 – Deputado Luiz Eduardo Greenhalgh, Dom Tomás Balduíno. Menção Honrosa: Joaquim Poubel
Post-Mortem ao Embaixador Sérgio Vieira de Melo
2005 – Ministro Patrus Ananias. Menção Honrosa: D. José Maria Pires, Pe. Júlio Lancelotti, Conselho Mundial de Igrejas/CMI – Post-Mortem a Ir. Dorothy Stang.
2007 – Dom Erwin Krautler – Menção Honrosa: Ministro Paulo de Tarso Vannuchi – Post-Mortem a José Antonio Santos Silva.
2009 – Frei Henri des Rosiers – Menção Honrosa: Maria Luísa Marcílio e Leonardo Boff.
2011 – Pe. Ricardo Resende – Post Mortem: Zilda Arns, Maria do Espírito Santo e José Cláudio Ribeiro da Silva.
2013 – Dom Demétrio Valentini, Padre Paolo Dall’Oglio, Movimento do Passe Livre/MPL
2015 – Dom Mauro Morelli – Menção Honrosa Yvonne Bezerra de Melo – Post Mortem a Inês Etienne Romeu.

DEIXE UM COMENTÁRIO