Connection Information

To perform the requested action, WordPress needs to access your web server. Please enter your FTP credentials to proceed. If you do not remember your credentials, you should contact your web host.

Connection Type

Em encontro de psicologia política, Padre Valdir reforça luta pelo desencarceramento

 em Agenda Nacional pelo Desencareramento

Interna_Superior_evento_sulamericanoA cidade de São Paulo sediou, entre 23 e 26 de junho, o 1º Encontro Sul-Americano de Psicologia Política, realizado na sede da Funarte, com o tema “Movimentos Sociais, participação política e políticas públicas na contemporaneidade”.

A proposta da atividade foi debater, por meio de conferências, mesas-redondas e apresentação de artigos, as pesquisas acadêmicas que estão em curso nos países sul-americanos.

Padre Valdir João Silveira, coordenador nacional da Pastoral Carcerária, compôs uma das mesas de debate do evento, que tratou sobre o “Estado Penal, Encarceramento em Massa e a falácia das Políticas Reabilitadoras: não seriam todos os aprisionamentos políticos?”. Com ele participaram Semíramis Costa Chicareli (EACH-USP e GEPSIPOLIM) e Bruno Jaar Karam (PUC-SP).

Semíramis, que é mestranda em Mudança Social e Participação Política e estuda a temática de criminalização e aprisionamento, atualmente analisa a participação política da Pastoral Carcerária nas questões de criminalização e aprisionamento.

Para a pesquisadora, um dos desafios da psicologia política contemporânea é contribuir para novas leituras sobre o sistema de criminalização e aprisionamento, partindo de pressupostos de desideologização, desalienação e conscientização, e envolvendo ações que levem ao fortalecimento de grupos que foram historicamente desfavorecidos, além de problematizar o papel das relações sociais e políticas na produção do crime e dos criminosos no contexto da atual estrutura da sociedade capitalista.

Bruno Karam, que pesquisa sobre a realidade do egresso prisional em situação de rua, enfatizou que é preciso discutir seriamente os fatores que levam à reincidência criminal, partindo da observação de como os egressos são tratados na sociedade. “Não existe até hoje política pública para egresso do sistema prisional, esteja ele ou não em situação de rua. Denuncio, também, todos os preconceitos sociais que existem desde a prisão até a situação de rua”, afirmou em entrevista.

 

Pelo fim do sistema prisional em todo mundo

Interna_inferior_evento_sulamericanoEm sua fala na mesa de debate, Padre Valdir apresentou dados sobre o vertiginoso crescimento da população carcerária no Brasil, o que faz com que a construção de mais vagas no sistema seja insuficiente, daí se explica a luta histórica da Pastoral Carcerária pelo desencarceramento em massa.

“O encarceramento em massa no Brasil só aumenta, assim como a violência, e mesmo assim o governo federal e o estadual seguem tomando medidas equivocadas sobre a população que comete algum delito”, enfatizou o coordenador nacional da PCr.

Para o Padre Valdir, o profissional de psicologia não pode ficar alheio às políticas sociais de extermínio e de encarceramento em massa dos jovens pobres e periféricos. “O sistema prisional no Brasil, em sua expansão, e no aumento do confinamento, mantido na tortura têm batido todos recordes mundiais. A expansão do encarceramento é acompanhada pelo aumento de mortes matadas, segundo o último relatório do Governo Federal. Essa realidade deve incomodar e desafiar a todos na busca de reverter e de mudar essa triste realidade e em especial quem atua diretamente nessas instituições: judiciário, sistema prisional, segurança pública e meios de comunicação”.

Padre Valdir manifestou o desejo de que as pessoas formadas em Psicologia, especialmente as que atuam nas unidades prisionais, possam ajudar a Pastoral Carcerária a reverter o quadro de encarceramento massivo e de brutalidade contra os presos.

“Primeiro, que como funcionários, vocês da psicologia não se calem perante tanta violência; segundo, que somem forças conosco para lutar contra o encarceramento em massa, pois o encarceramento prejudica quem está preso, quem trabalha na unidade prisional e também toda a sociedade. Tenho esperança que mais gente abrace a luta contra o encarceramento e pelo fim do sistema prisional no mundo inteiro”.

 

(Com informações do site Mídia Legal Independente)

FAÇA PARTE DA PASTORAL CARCERÁRIA

Recommended Posts

Deixe um comentário