CONIC manifesta apoio à Agenda Nacional pelo Desencarceramento

 Em Agenda Nacional pelo Desencareramento

O Conselho Nacional de Igrejas Cristãs do Brasil (CONIC), por meio de sua secretária-geral, a Pastora Romi Márcia Bencke, manifestou apoio à Agenda Nacional pelo Desencarceramento, articulada pela Pastoral Carcerária Nacional e outras entidades que atuam na defesa e promoção dos direitos humanos.
“Como Conselho de Igrejas, queremos nos somar a esta iniciativa que como fruto criará a paz, a paz para as pessoas que estão perto e também para as pessoas que estão longe”, consta na carta de apoio do CONIC, que foi endereçada à Pastoral Carcerária por conta do evento nacional realizado em 8 de outubro, que refletiu sobre a Agenda.
LEIA A ÍNTEGRA DA CARTA ENVIADA PELO CONIC
Na carta, o CONIC lembra que há no país um total esvaziamento da democracia e a retirada de direitos e cita o caso emblemático da recente anulação dos julgamentos do massacre do Carandiru, ocorrido em 1992. “Ainda estão vivos em nossa memória o crime hediondo, cometido por agentes do Estado, que desvelou toda a lógica brutal e violenta pela qual se orienta a política de segurança pública de nosso país. Esta decisão coloca a pergunta pelo modelo de sociedade que temos no Brasil, orientada pela violência, abuso de poder, hierárquica e que privilegia as elites”.
O CONIC lembra, ainda, que “a segurança, historicamente, tem sido uma política pública frágil. A lógica militarizada que caracteriza os agentes de segurança pública contribui para perpetuar o caráter repressivo e autoritário do Estado. Não temos uma polícia cidadã, mas sim, um polícia que tem como função a repressão, em especial dos mais pobres”.
Por fim, o CONIC afirma que o inconformismo com o atual sistema punitivo e violador de direitos e deseja que “a memória do massacre ocorrido no Carandiru há 24 anos e a recente decisão pela anulação do julgamento dos que praticaram este crime provoque em nós um profundo processo de reflexão sobre a liberdade e a justiça. Como país, precisamos nos libertar do medo de sermos livres. Da mesma forma, devemos superar a compreensão de que ‘fazer justiça’ significa punir, castigar, mal-tratar e humilhar. É preciso superar a cultura do linchamento que caracteriza a sociedade brasileira”.
O CONIC congrega as seguintes instituições: Igreja Católica Apostólica Romana (representada pela CNBB no Brasil), Igreja Episcopal Anglicana do Brasil, Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil, Igreja Sirian Ortodoxa de Antioquia e Igreja Presbiteriana Unida.

DEIXE UM COMENTÁRIO