‘Permanecemos invictos no Mapa da Violência’, afirma diretor da Anistia Internacional